Não-Livre

sábado, 14 de novembro de 2009

Não-Livre
Condicionado
Prisioneiro de si mesmo
Amarrado a conceitos
Imerso em ilusão
Cheio de pré-concepções

2 comentários:

Juliana Zentada (Orkut) disse...

Fiquei aqui pensando inicialmente que essa era a nossa real imagem mas logo percebi que essa era mais uma ilusão... Estarmos amarrados por tantas coisas por tantos lados... Será?
No zazen (em todas as formas de zazen), expressamos nossa verdadeira natureza, sem querer ser nem alcançar. Penso que essa livre expressão da natureza nos liberta da ilusão (seja ela um conceito, seja ela uma imagem).

[Reflexões inspiradas e dedicadas a Shunryu Suzuki]

Joao disse...

Provavelmente essa não é mesmo nossa real imagem, mas quase a todo tempo me vejo agindo exatamente como se estivesse amarrado por todos os lados. Provavelmente durante uma verdadeira prática de zazen isso não ocorra, embora eu nunca tenha percebido isso com clareza por mim mesmo, somente por relato de outros.