Óculos-televisão

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Crédito da imagem: Time Inc.


Alguém inventou um óculos-televisão, em que é possível assistir filmes andando por aí! Mais do que isso, é possível rebobinar e assistir trechos de nossa própria vida, tudo em tempo de real!

De vez em quando o óculos automaticamente passa "flashes" do que está acontecendo, para que a pessoa não tropece ou coisa parecida. Mas isso não é tudo! O óculos é sensível ao contexto da situação, mostrando diversas situações do passado, semelhantes ao momento atual, de forma que você possa mais facilmente pré-julgar o que está acontecendo, tomando decisões antecipadamente sem nem mesmo ter que investigar melhor o que está ocorrendo. Mais ainda, como bônus o óculos permite que você crie filmes com o pensamento, de modo que você possa assistir todo tipo de sonhos como um filme que nunca acaba, criando seu conto-de-fadas como bem quiser!

Mas atenção: Os inventores do óculos não se responsabilizam por "acidentes" que possam ocorrer pelo mau uso dele, como você brigar com alguém (que não sabe o que está ocorrendo no seu filme), ficar irritado (pois a velhinha que está andando na sua frente está lhe obrigando a prestar atenção, interrompendo o filme) ou viciado, sempre querendo mais e mais filmes. Também não se responsabilizam por alguns pequenos defeitos de fabricação: os filmes podem enjoar e não mais satisfazer, podem lhe causar raiva e frustração, medo e angústia, e podem também causar um leve desvio de interpretação da realidade...

De certa forma, todos usamos óculos como esse. É a mente desatenta. Não vivemos nossa vida, mas "assistimos filmes" o tempo todo. E o pior, perdemos diversas oportunidades de agir, criando coisas boas, de verdadeiramente viver! Podemos estar projetando o futuro e reprojetando o passado, sem nunca viver o presente.

Inspiração: Click, entre diversas outras, inclusive ensinamentos do Dharma.

Ver também: Uma Palestra do Reverendo Dosho Saikawa

2 comentários:

Ticinha disse...

Estou impressionada com seu blog! E muito lisonjeada por você acompanhar o meu. Sua linha de pensamento é limpa, clara, sucinta e muito humana! No meu blog apenas disponibilizo textos que na verdade me ajudam a aprender muitas coisas que eu preciso(sou budista há pouco tempo). Esse texto do óculos-televisão me lembra um texto de Thich Nhat Hanh sobre os "filmes" que passamos o tempo todo. Não vivemos de maneira consciente. A mente tenta driblar o agora o tempo todo.
Bom, vou seguir seu blog também. Adorei o jeito que você escreve e me identifiquei muito! Até breve!

Joao disse...

Olá Ticinha,

Certamente não mereço o elogio mas agradeço seu comentário.

Até mais!