Instrução legalzinha de meditação

segunda-feira, 23 de março de 2009



Introdução: Eu considero essa explanação sobre a meditação/zazen razoavelmente confiável, principalmente o início, pois é bastante parecida, pelo que eu lembro de memória, com a explicação que recebemos de Saikawa Roshi durante o zazen, no dia 20/12/2008, antes da cerimônia de Aparecida Kannon Bossatsu (Se alguém que estava lá discordar, por favor me chame atenção pois minha memória certamente pode falhar).


"Meditação é uma combinação de
ao mesmo tempo testemunhar
o que está acontecendo no momento
(diferentemente de se identificar
com o que está acontecendo)

e de se render
ao que está aqui
(diferentemente de tentar controlar
ou resistir à sua experiência)

Então você quer permitir
a sua experiência
nesse momento
de ser como ela é,
mas sem se identificar com ela.

Você quer experimentar
esse momento como sensação
sem tentar defini-lo, descrevê-lo, julgá-lo
ou dizer "isso sou eu."

O principal obstáculo na meditação
é a mente

Os pensamentos surgem e a tendência é
se identificar com os pensamentos,
se envolver com o pensamento.

Pensar que você é o pensador
e que o pensamento é importante

E então um pensamento
leva ao outro
e antes que você perceba,
o tempo da meditação acabou.

Muito irão gastar
toda a sua meditação
simplesmente aproveitando um certo relaxamento
enquanto sendo distraídos e consumidos
pelos pensamentos.

Isso é normal.
E há uma certa dose
de crescimento espiritual que vem
de simplesmente aproveitar a paz que há ali.

Mas a verdadeira meditação significa
Abandonar essa tendência
de ser distraído pelo seu pensamento.

Pouco a pouco, ter momentos
em que você não está distraído
pelo seu pensamento
mas está presente
com o que está aqui além do pensamento.

Então você deve se render
para permitir os pensamentos e emoções surgirem,
porque se você tentar pará-los,
ou controlá-los,
você irá aumentar o desequilíbrio.

Você deve se render
de modo que você se permita
a experimentar o que está aqui
além do pensamento.

Mas ao mesmo tempo,
você deve testemunhar os pensamentos surgindo,
para que você não fique preguiçoso
e habitualmente se perca nos pensamentos.

Você deve estar completamente focado
no momento para ver o pensamento surgindo
e instantâneamente deixá-lo ir.

Então há esse equilíbrio
que é sempre o ideal:
testemunhar e se render
ambos ao mesmo tempo.

A príncípio
esses dois parecem ser opostos,
mas através da prática você percebe que
testemunhar e se render
são um e o mesmo.

Quando você chega a esse ponto
a vida se torna bastante serene.

Eventualmente,
ambos aspectos são transcendidos
em um estado de perfeita paz
onde apenas a pura consciência sem forma permanece.

Esse é o início do Samadhi,
onde o eu pessoal desapareceu
e a meditação ocorre sem esforço."


Bençãos,
Kip"


Tradução de texto de Kip Mazuy.

1 comentários:

Palavras de Osho disse...

Obrigado pelas dicas!